Escolha uma Página

A falta de reflexos é um dos sintomas da Síndrome de Guillian Barré

1.O que é Síndrome de Guillain-Barré? 

Não é transmissível, nem contagiosa. É uma doença autoimune.
 Na síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico de uma pessoa, que é responsável pela defesa do corpo contra organismos invasores, começa a atacar os próprios nervos, danificando-os gravemente. O dano nervoso provocado pela doença provoca formigamento, fraqueza muscular e até mesmo paralisia. A síndrome de Guillain-Barré costuma afetar mais frequentemente o revestimento do nervo (chamado de bainha de mielina). Essa lesão é chamada de desmielinização e faz com que os sinais nervosos se propaguem mais lentamente. O dano a outras partes do nervo pode fazer com que este deixe de funcionar completamente.
 
1.a Sintomas: 
  • perda de reflexos em braços e pernas
  • Hipotensão ou baixo controle da pressão arterial
  • Em casos brandos, pode haver fraqueza em vez de paralisia
  • Pode começar nos braços e nas pernas ao mesmo tempo
  • Pode piorar em 24 a 72 horas
  • Pode ocorrer somente nos nervos da cabeça
  • Pode começar nos braços e descer para as pernas
  • Pode começar nos pés e nas pernas e subir para os braços e a cabeça
  • Dormência
  • Alterações da sensibilidade
  • Sensibilidade ou dor muscular (pode ser cãibra)
  • Movimentos descoordenados

Outros sintomas podem ser:

  • Visão turva
  • Descoordenação e quedas
  • Dificuldade para mover os músculos do rosto
  • Contrações musculares
  • Palpitações (sentir os batimentos cardíacos)

Os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré podem piorar rapidamente. Os sintomas mais graves podem demorar apenas algumas horas para aparecer, mas a fraqueza que aumenta ao longo de vários dias é normal.

A fraqueza muscular ou a paralisia afeta os dois lados do corpo. Na maioria dos casos, a fraqueza começa nas pernas e depois se propaga para os braços. Isso é chamado de paralisia ascendente.

Os pacientes podem notar formigamento, dor nas extremidades e falta de coordenação. Se a inflamação afetar os nervos do diafragma e do peito, e se houver fraqueza nesses músculos, a pessoa poderá necessitar de assistência respiratória.

2. Como ela se desenvolve? A grande maioria dos pacientes relata processo infeccioso algumas semanas antes do início da síndrome, o que levou os pesquisadores a selecionarem patógenos que liberam substâncias (antígenos), que estimulam a resposta imune e erroneamente danificam estruturas do sistema nervoso periférico. A bateria mais comum , em 32% dos casos, é a Campylobacter jejuni, que vem da contaminação dos alimentos. Aves são os piores. Essa é a mesma bactéria que causa grande parte das gastroenterites – o dobro do que a salmonela.
Outro que está comumente associado é o  citomegalovírus (13%), vírus Epstein Barr (10%) e outras infecções virais, tais como hepatites por vírus tipo A, B e C, infuenza e HIV. O quadro progride em 4 semanas. 
 
3.  Qual o atendimento e tratamentos?

pacientes com SGB necessitam ser inicialmente admitidos no hospital para observação rigorosa. Vigilância estrita e antecipação das potenciais complicações são necessárias para a otimização das chances de um desfecho favorável. Áreas de atenção incluem prevenção de tromboses, monitorização cardíaca e respiratória. ,  proteção de vias aéreas, manejo apropriado da função intestinal e da dor, nutrição e suporte psicológico adequados. A fisioterapia motora deve ser iniciada nesta fase com intuito de auxiliar na mobilização precoce. 

 
4.  Qual a incidência e graus da doença ?
1 em 100 mil habitantes – no mundo. Entre 60 e 70% dos que manifestam têm incidência de doença anterior até 3 semanas antes. É considerada leve quando é capaz de realizar tarefas manuais, ou  campanhas sem o auxilio de bengala. Moderada quando é capaz de caminhar apenas com algum tipo de ajudar. Começa a agravar quando precisa ficar na cama ou cadeira de rodas. Mais um estágio é quando atinge a respiração. Em 15% dos casos tem sequelas persistentes.  Em 85% dos casos, há recuperação total da força muscular e sensibilidade.
5.  Como ela é diagnosticada? O paciente que chega ao consultório ou à emergência vai primeiro passar por testes para ver como estão seus reflexos. Na doença eles estão diminuídos ou não há reação ao estímulo. O sintoma geral é a fraqueza muscular progressiva de mais de um membro ou de músculos cranianos de graus variáveis ( explicar esses estágios). E a fraqueza é característica porque tende a ser simétrica e acompanhada de dor. O médico também vai perguntar sobre doenças recentes. Um exame que ajuda a diagnosticar é o de liquor ( explica o que é liquor). Se tem alta concentração de proteína pode ser um indicativo.
 
6. HÁ TIPOS DA DOENÇA:  O primeiro é mais comum nos Estados Unidos e mais comum por aqui também a fraqueza começa na parte inferior do corpo. Em outro tipo da doença, mais comum na ÁSIA, começa pelos olhos e começa a sentir instabilidade na hora de caminhar.  Finalmente, Neuropatia Motora Axonal Aguda e Neuropatia Motora-Sensoria Axonal Agora são tipos mais frequentes na China, no Japão e no México.  
7. Tratamento mais comum: A imunoglobulina humana deve ser administrada por 5 dias e interrompida caso haja qualquer evidência de perda da função renal e anafilaxia. Aproximadamente 40% dos pacientes que estão hospitalizados com SGB requerem reabilitação hospitalar. Os objetivos dos programas de terapia visam a reduzir os déficits funcionais, e orientar sobre as deficiências e incapacidades resultantes da SGB.
 
8.  A associação ao Zika Vírus: apareceu primeiro na polinésia francesa e os médicos estão encontrando evidência da relação entre os dois.  Também estão estudando se a dengue tem relação. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), quatro estados do Nordeste – Alagoas, Bahia, Piauí e Rio Grande do Norte – tiveram aumento superior a 100% no total de casos da síndrome, em 2015. O aumento total na incidência do problema no país foi de 19% em 2015, em relação a outros anos.  O aumento total  de Guillan Barré na incidência do problema no país foi de 19% em 2015, em relação a outros anos.  A estimativa foi baseada em números de 2015, ano em que foram verificados 1.708 casos da doença. Enquanto Alagoas viu um aumento de 517% na incidência, a Bahia registrou uma ocorrência 196% maior, seguida de Piauí e Rio Grande do Norte, ambos com 108% de aumento.
 
11. Zika: além da prevenção das picadas, cuidado pq estão investigando a saliva e a contaminação por via sexual. Detectada clinicamente pelos sintomas: dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. A evolução da doença costuma ser benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente em um período de 3 até 7 dias. O Exame PCR só detecta depois de 5 dias do aparecimento da doença.
Segundo o Ministério da Saúde, os casos devem ser tratados com o uso de paracetamol ou dipirona para controle da febre e da dor. Assim como na dengue, o uso de ácido acetilsalicílico (aspirina) deve ser evitado por causa do risco aumentado de hemorragias. É possível contrair zica e dengue ao mesmo tempo.Pesquisa já mostrou o Zika atacando as células tronco neuronais, as que dão origem ao córtex, área mais nobre do cérebro
fontes: